Beatrice @ @ 14:20

Qui, 29/03/12


Entrei no seu carro e fechei a porta sentando-me. o meu olhar encontrou o dela de imediato. Sorri-lhe apesar de a sua expressão transparecer tudo menos felicidade. Quando me inclinei para poder beijá-la fui impedido pelo seu toque suave, que me afastou.

-Não podemos ficar juntos. - proferiu com a voz tremida.

-Por...porquê? - perguntei sentindo todo o meu corpo fraquejar. O seu olhar afastou-se do me, o que me partiu ainda mais o coração - Olha para mim. - pedi quase num sussurro.

-Não posso, eu amo-te mas não podemos ficar juntos. - o meu corpo movimentou-se num gesto desconfortável - Vou casar-me com ele, é tudo o que posso fazer para salvar a minha família. - uma lágrima escorria pela sua cara.

-Mas tu prometeste, prometeste que fugirias comigo e nada nos iria separar. - obriguei-a a olhar para mim e quando a olhei nos olhos consegui sentir o amor que sentia por mim.

-Não posso. - era tudo o que ela dizia, frase que me deixava cada vez mais confuso porque não percebia o porquê daquela decisão - Vai-te, não consigo estar perto de ti sem pecar. - inclinei-me mais uma vez para tentar beijá-la mas fui de novo afastado. Virei-lhe as costas e saí do carro caminhando até ao meu que estava estacionado mais à frente. Abri a porta e entrei fechando-a bruscamente. Foi aí que fraquejei, cerrei os punhos e deixei as lágrimas caírem sem cessar. Liguei o carro e segui o caminho da minha casa, o único lugar onde me conseguriria acalmar pois era um sítio que emanava a sua presença de uma maneira inexplicável. 

Não me lembro bem do que aconteceu a seguir, lembro-me apenas de baixar a cabeça por momentos e quando voltei a levantá-la vi um carro vir na minha direção. Tentei não ir contra o carro, o que me fez perder o controlo do meu. A última coisa de que me lembro nitidamente é de como a sua cara atingiu o meu pensamento e de como, quando tive a certeza que ela estaria para sempre comigo, me deixei ir.